terça-feira, 5 de março de 2013

hoje, qual criminoso, fui apresentar o termo de identidade e residência.
hoje, uma vez mais, senti-me uma merda.
hoje, só hoje, quero desnascer.


quando nasci. esperava que a vida.
me trouxesse. a terra. quando nasci.
esperava que a vida. me trouxesse.
as árvores. e os pássaros. e as crianças.
quando nasci. tinha o mundo. todo.
depois dos olhos. depois dos dedos.
e não percebi. não percebi. nada.
nunca imaginei. quando nasci. que a vida.
quando nasci. já era a escuridão. a escuridão.
em que estava. quando nasci.

José Luís Peixoto in. "a criança em ruínas"

30 comentários:

  1. Por isso é que AMO José Luís Peixoto!
    Leio-o avidamente!

    Beijos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. tenho alguns livros dele
      este ofereceram-mo agora pelo aniversário. ;)
      beijo

      Eliminar
    2. Tens no youtube textos desse livro ditos pelo autor...

      Eliminar
  2. Infelizmente sei o que isso é. Gostava de vir aqui dizer-te que essa estranheza vai passando com o tempo, mas é mentira. De quinze em quinze dias... é sempre como se fosse a primeira vez.

    Espero que saias disso rapidamente, mas se isso não acontecer, permite-me uma sugestão - o desemprego torna-se um problema maior quando chega à cabeça de um indivíduo. Acordar sem nada para fazer, sem planos ou projectos é meio caminho andado para dar em maluco. Quem nunca passou por essa situação, não saberá dar a devida importância, mas manter a sanidade mental é um emprego a tempo inteiro.

    A melhor sorte.
    Um abraço...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Grazie, Roque.

      até ver tenho conseguido ocupar-me, sentir-me útil.
      Vamos ver, não me apetece descompensar... ;)

      Abraço

      Eliminar
  3. Apesar de ter anotado alguns livros dele para possíveis compras, nunca li nada dele, quer dizer um livro porque agora estou a lê-lo no teu blog...

    Eu gostava de nascer de novo.

    Beijinho :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A parte do desnascer é minha,
      Tudo o resto lhe pertence. ;)
      Beijo.

      Eliminar
  4. Quero deixar-te um beijinho de força, uma palavra apenas de amizade e conforto. Não és um merda, merda são todos aqueles que andaram anos a roubarem o estado e agora coçam a barriga e gozam o prato dos desgraçados que penam para ter um emprego, e dos que suam as estopinhas para conservarem o que têm, lá onde estão... nos resorts de luxo em cabo verde, ou nas fazendas no Brasil, nas contas Off shore nas ilhas Caimão, ou pobrezinhos mas com os milhões nas contas das primas, das tias, e da mulher de quem se divorciaram há 15 dias. Vergonhoso! A vergonha não deve ser tua, é NOSSA, minha também porque permitimos ser roubados, gozados, manipulados e tudo calámos. que nos sirva de lição no futuro, senão for já demasiado tarde.

    Beijo daqueles, meu.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Grazie menina.
      Eu estou bem, não quero ser calimero nem estou deprimido, apenas desabafei.
      Tens muita razão!
      Beijo enorme.

      Eliminar
  5. Vida madrasta, companheiro!
    Força!!!
    ;)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Estou firme, Zé. ;)
      Logo logo muda a maré!
      Abraço.

      Eliminar
  6. Que seja breve momento
    Que não se alongue o tormento
    Que a vida seja um alento
    E que tu sejas FELIZ!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pareces-me um(a) anónimo(a) que me conhece... ;)
      Obrigado pelas palavras, gostei miito destas que me dedicaste. ;)
      Calhou-me um anónimo fofinho, desculpa, não estava prerparado :)
      Beijo ou abraço ou ambos!!!!

      Eliminar
    2. É um(a) anónimo(a) que te quer bem...

      Eliminar
    3. ;)
      ainda bem que assim é.

      Eliminar
  7. Li mal, pensava que todas as palavras eram do escritor, só agora percebi que as primeiras eram tuas e que eram um desabafo...

    Dizem que o mau das coisas boas é que elas um dia acabam, o mesmo serve para as coisas más, um dia também irão acabar...que seja rápido.

    Beijinho :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Por um lado sinto-me lisonjeado! :)
      Beijo

      Eliminar
  8. vais preso? onde te vou levar as minis?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. à Junta de Freguesia cá do sítio! :)
      abraço

      Eliminar
  9. Aposto que andaste atrás dos carimbos das empresas que te deram tampa... calma


    Beijoca

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. mando CV's pela net.
      Andar atrás de carimbos só se me apetecer ser destratado! ;)

      beijo

      Eliminar
  10. Respostas
    1. o desemprego é fodido mas esta obrigatoriedade de nos apresentarmos faz-nos sentir uns marginais.
      beijo, louraça!

      Eliminar
  11. Meu amigo, felizmente nunca estive desempregado.
    Entre negócios próprios e por conta de outrem, não senti nunca esse flagelo
    Mas lá em casa há disso. O mais velho, que já zarpou de casa, vai fazendo pla vida
    na televisão, com contratos que o(s) explora(m) até ao tutano, doze horas de trabalho
    diário, recibos verdes, etc. É mau, mas é trabalho e remunerado; o mais novo é um nem/nem
    e não será tão depressa que arranjará emprego; informáticos e programadores há por aí aos pontapés...
    Tu és mais um, para mal dos teus pecados, a juntar ao mais de milhão que não consegue contribuir para o país. Acredita na minha solidariedade e na minha indignação com estes cabrões que puseram o país na merda em que está. Como bem dizes, estar desempregado, não é ser coitadinho. Força! Abraço!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. calhou-me agora. Contratos e mais contratos, mudanças de empresa (dentro do grupo para não efectivar) e agora chapéu.
      Vou virar-me companheiro!
      Obrigado pela força.
      E puta que pariu as políticas que este país e europa nos impõem.
      Abraço

      Eliminar
  12. Amigo, não permitas - até por questão de resistência e orgulho - que estes pulhas, canalhas, escroques e ladrões piores do que assaltantes à mão armada (cabr--s e filhos da pu--a nunca direi, porque isso é simplesmente um insulto à Mulher)te roubem também a esperança e o futuro!

    Graças a DEus, nunca estive desempregada, embora não tivesse sido muito fácil arranjar emprego em 1970, mas tenho , neste momento, um familiar próximo no desemprego -com uma filha a estudar, um carro para pagar assim como a casa.

    Coro de vergonha por termos esta quadrilha no Poder ( Governo e arredores) !!

    Um apertado abraço com carinho e desejo sincero que a situação se resolva rapidamente.

    ResponderEliminar